Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

E não é?

por mandarina, em 06.12.11

Eu de política infelizmente percebo muito pouco, acho que um pouco como todas as pessoas da minha geração, a não ser aqueles que escolheram seguir a via política. Tenho a mesma opinião dos outros, a política é um ninho de corrupção, quando na sua origem era um conceito idealizado por homens que sonhavam mudar o mundo melhorando-o não em proveito próprio mas em proveito dos demais da sua sociedade.

Eu de política, percebo mesmo pouquíssimo, mas sei ler as mil e uma notícias sobre o que passa um pouco por todo o lado, e a sensação com que fico é que a vida de todos nós depende da politica como se de água se tratasse. Será? Sempre pensei que a vida dependia mais de coisas como o amor, as relações com os outros, a família, os amigos, a vida profissional, as aspirações, e tudo o mais da vida. Agora que ela dependesse da política como nós dependemos do ar para viver não imaginava, mas ao que parece nos tempos que se vivem dá a sensação que a política é parte fundamental na nossa vida. Tudo depende dela, o nosso bem-estar ou mal-estar advém dela. Se é mesmo assim, pois não sei, não faço ideia, admito a minha ignorância neste aspecto.

 

Eu de politica percebo muito pouco, mas angustia-me ver, ainda que de longe, o meu país à beira do colapso, ou senão está, lá que a imprensa anda a pintar esse cenário lá isso anda, e não só Portugal como a União Europeia, a tal união idealizada dos países da Europa que agora se vêm cada vez mais divididos em realmente apostarem na união acima de tudo, ou de cada um seguir o seu caminho e salvar a própria pele.

 

Eu que nasci e cresci neste ideal de União, que agora parece desmoronar-se como um baralho de cartas, só posso concordar com o que senhor primeiro Ministro italiano diz: “Devemos absolutamente evitar que o euro, criado para unir as pessoas da Europa, acabe por as dividir”. E não é? Que o que eu entendo das palavras dele é, a não se conseguir salvar o Euro, não se conseguirá salvar a Europa e isso é, só, o fim do mundo como nós o conhecemos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Se murió

por mandarina, em 30.11.11

O meu telemóvel morreu hoje, não sobreviveu às temperaturas extremas que se fazem sentir, aiiiiii gostava tanto dele, era velhinho e estava ultrapassado mas gostava mesmo muito dele, já lhe sabia as manias todas, é que eu nisto de tecnologia sou um bocado retrograda, gosto de coisas simples e funcionais. Que medo daqueles que tem tudo e mais alguma coisa, e primeiro que se descubra metade das funcionalidades leva uma eternidade.

 

Coitadinho, durou nestas mãos destrambelhadas quase 6 anos. Ainda não lhe diagnostiquei a causa da morte, pode até estar só em choque, mas oh já está tão cansado que mais vale comprar um novo.

A marca será Samsung, são os meus favoritos, a nível de design, sistema operativo, e funcionalidade e porque tive a melhor das experiências com este Samsung, por isso, acredito na marca. Espero que passados 6 anos não tenham pi(o)rado.

 

Pois então amanhã já "aluguei o tempo" do Mark, um amigo chinês, que me vai ajudar a comprar o dito cujo. É que sei como os chineses são tramados, e gostam de impingir preços exorbitantes por tecnologia que não vale nem metade do preço que propõem e depois há os espertalhões que nos tomam por burros e tentam vender produtos falsos.

Acho que sem uma ajuda nativa não ia correr muito bem este negócio, e mesmo assim já sei que não vai ser pêra doce.

 

Agora é investigar preços e modelos na Net para amanhã não ser enganada. E olha depois é confiar no instinto do Mark e ter sorte. Na China é memso uma questão de ter sorte, principalmente quando se trata de pessoas como eu que são um 0 à esquerda com estas coisas da tecnologia.

 

Que bela maneira de acabar Novembro, brrrr...

Não gosto nada de me desfazer deste tipo de coisas, prefiro o velho mas confortável, ao novo mas complicado.

Mas vá, tal como o ditado chinês diz: "旧的不去,新的不来" (jiude bu qu, xinde bu lai) ou seja, "if the old things remain still, the new things will not emerge". Ao que parece este ditado usa-se para confortar alguém quando essa pessoa acabou de perder algo.

 

Amiguinhos, estou oficialmente incomunicável!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Favoritos