Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

哎呀*

por mandarina, em 12.05.12

Dias de chuva torrencial são os meus preferidos, parêntesis em casa. Ter de nos deslocarmos com o tempo assim é coisa para nos dar cabo do dia todo.

O trânsito congestionado desta terra dos diabos faz-me pensar que afinal não preciso ir para o Inferno para saber o que é o Inferno na realidade.

Hoje passei mais de 3h30m num trajecto que em dias normais demora mais ou menos 1h30m. Espectáculo de cidade. Acredito piamente que a abertura tardia do metro vai mudar muito a cidade, e digo tardia porque uma cidade desta dimensão, sendo ela uma das maiores cidades da China, senão a maior em dimensão, é inconcebível não ter ainda metro. Este ano parece que isso vai mudar.

 

Li num artigo a propósito de Wuhan, um local para um turista: “Tomorrow will be a much better Wuhan.” (Amanhã será um Wuhan melhor). Acredito, esta cidade será no futuro muito melhor do que o caos que é hoje.

Salva-vidas: Acabei o dia a comer pizza com extra queijo nos rebordos. Sou uma mulher feliz.

Desmancha prazeres: Amanhã acordo às 7h para ir trabalhar das 9h às 11h. Afinal já não sou tão feliz assim.

 

*Āiyā (que é como quem diz: "ai a minha rica vidinha")

Autoria e outros dados (tags, etc)

comunicado

por mandarina, em 09.05.12

Sou a favor do amor livre, e, porque tenho, além do meu quarto, um outro quarto por alguns dias a meu encargo, um comunicado a fazer. Quem quiser praticar o amor no quarto em frente ao meu, (se fosse no do lado não sei se deixava) é favor contactar-me. Cobro baratinho. E podem usar o tempo que quiserem, desde que não partam nada (cama inclusive) tem o meu consentimento.

 

(é uma brincadeira {a parte do aluguer do quarto, podem usar grátis que eu sou pró-amor e não chula}. A verdade é que tenho 2 quartos e 2 casas de banho [a minha (quase) fora de serviço] à minha disposição até resolverem o problema da minha.

Ora imaginem lá que quando quiser fazer pipi terei de me dirigir à casa de banho do quarto em frente, que vos parece, ousado no mínimo não!?

Autoria e outros dados (tags, etc)

não morri, nem fugi (ainda)

por mandarina, em 22.04.12

Só para dizer que estou de volta. Lembram-se do meu último post sobre macumbas, pois é. 6ta deixei de ter internet e até agora não consegui aceder ao blog pelo que perdonai-me a ausÊncia mas o senhor blogs sapo não está a funcionar por estes lados, resta saber se é culpa do novo sistema de internet ou se é o sapo que está com falhas.

 

p.s.: estou a publicar este post por atalhos não convencionais e até aqui chegar foi um quebra-cabeças :@

Autoria e outros dados (tags, etc)

9 min = 2 horas

por mandarina, em 13.04.12

Não, não pirei. Ou quer dizer, ainda não pirei. A verdade é que é sexta-feira, estou cansada mas ainda houve tempo para depois do almoço, esquecer a siesta time, e me pôr a estudar tingli (audição) com a minha adorada fudao laoshi (professora).

Sabem que mais, aquilo é uma verdadeira dor de cabeça, mas das grandes, mesmo, para vocês perceberem o quanto, imaginem lá que estivemos a fazer um teste, o qual eu rezo para que seja o que a professora nos vá dar, que vem no livro e que estivemos 2 horas a ouvir para fazer 2 exercícios, cada um com 15 perguntas de escolha múltipla, e que equivaliam a 9 minutos de audição no total. Sim, no todo 9 minutos. Para perceber e fazer os exercícios, ela repetia cada um 2 vezes, e uma terceira vez depois de dar com a resposta correcta. Posto isto, vou ali cortar os pulsos e já volto. 2 horas para ouvir 9 minutos. É de loucos.

 

E vocÊs a pensar: "porra que ela é mesmo lerda" pois, se por um lado sou um pouco, digo-vos também que até a minha prof. vietnamita que é professora de chinÊs e tem um chinês fluentíssimo (já passou várias vezes todos os HSK's antigos e novos), nem ela às vezes percebe bem o sentido do que dizem, ou seja, para além de falarem super rápido nas gravações, mas rápido tipo o mais rápido que possam ler esta passagem sem respirar! Além disso, os diálogos requerem puxar pelo miolo depois de ouvir visto que os diálogos são autênticas charadas e, já não bastando isso usam expressões do arco da velha (expressões mais difíceis do que habitual).

Posto isto, penso para comigo e contorço-me: se o exame for nesta base, esquece lá isso :| a verdade é que, sinceramente acho: 不是我的问题,是书的问题, 真的!(Bùshì wǒ de wèntí, zhǐshì shū de wèntí,zhēn de!). O problema não está em mim, está no livro, really! Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

dilúvios enormes

por mandarina, em 12.04.12

Hoje quem pergunta se tá tudo a ficar doido sou eu, incluindo o tempo. Lá fora caí o céu, indiferente à mudança de estação, chuva sem parar há horas, e vento e folhas a voar e chapéus a quebrarem-se como se não houvesse amanhã. Fiquei com os pés encharcadinhos, se ficar doente vai ser o deus me acuda.

Ainda para mais, esta cidade com chuva é a calamidade, pára tudo, trânsito que está quase sempre pela hora da morte, quando se dá o caso de chover um pouco mais que é habitual vira esta cidade de pantanas. Hoje, num trajecto que costuma demorar 45 minutos, demorou 1h30 e o motorista devia estar a pensar que estava em plena prova de obsáculos, as pessoas pareciam dados dentro do autocarro, ora rolavam para um lado, ou para o outro. A menina aqui, hoje teve honras de princesa e tanto para lá como para cá veio quase o trajecto todo sentadinha e a rezar para que não entrasse nenhum velhinho a quem tivese de ceder o lugar (coisa que raramente os chineses fazem, mas no que toca a mim boas maneiras primeiro conforto depois)

Loucos estavam também os putos hoje, agitados e irrequietos, sentar que era bom e prestar atenção não era lá muito com eles. Mas bom, continuam a portar-se relativamente bem, apesar de, às vezes, tenderem para a indisciplina inocente, isso ou enganam bem. Às vezes juro que acho bom não perceber tudo o que sai das boquinhas daquelas alminhas senão acho que me teria de chatear. O que os ouvidos não ouvem...

Cansei...porra que dias de chuva cansam pra caramba.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ponto de situação

por mandarina, em 07.04.12

Acordada por uma verdadeira osquestra sinfónica árabe, antes fosse, foi mais pelo vizinho da frente do Iémen com a música aos altos berros como se toda a gente gostasse de música árabe pela manhã e aos altos berros, a música não era má, mas eram 10h da manhã (vá quase 11h) e eu estava ainda a dormir e não pedi para ser acordada com música árabe. Mas bom.

Depois verifico que chove na minha casa de banho, sim já não bastava ter, desde sempre, a casa de banho toda inundada, agora pinga água do tecto. Será que o tecto também vai cair, como já aconteceu a um colega deste prédio. Ah grandes construções chinesas, clap clap.

E para fechar em maravilha, descobri que um larápio qualquer, ou um rato infiltrado no frigorifico, anda a fazer desaparecer os meus queijinhos. Ainda pensei que fossem coisas da minha cabeça mas não é, anda alguém a comer queijinhos às minhas custas. Ai...

 

Posto isto, que mais peripécias se adivinham mais este sábado?

Autoria e outros dados (tags, etc)

De loucos

por mandarina, em 25.03.12

Esta cidade é de loucos, uma das cidades da China com maior densidade populacional por m2 e realmente é gente a dar com pau, gente por todos os lados, não há um sitio que se possa dizer sossegado e desértico. É, além disso, cidade que nunca mais acaba, trânsito sempre entupido, poluição sonora e aérea que é de levar as mãos ao céu por ainda se estar vivo respirando este ar e não ter enlouquecido às custas de todo este ruído ensurdecedor de apitadelas, buzinadelas, chinfrim de carros e pessoas por todos os lados. Incrível mesmo.

 

Hoje um dia tão bonito lá fora fez com que uma verdadeira multidão se lançasse às ruas, lojas, supermercados, parques. É gente que nunca mais acaba, nunca antes tinha assistido a tamanha ocupação de espaço físico, faz-me sentir mesmo uma formiguinha. É algo que me transcende, acho até que devia ser proibido coexistir tanta gente no meu espaço físico, uma pessoa quase mal se consegue mexer nas ruas sem logo sem atropelado por uma pequena multidão.

 

E hoje até fui trabalhar, o meu boss chamou-me para umas actividades ao ar-livre com as crianças. Eles pareciam muito divertidos, fizemos uns jogos engrançados, e é bom para eles sairem e não estarem sempre em casa e aproveitarem o inicio da Primavera, ou como uma colega chinesa disse, o inicio do Verão, que aqui só há duas estações, Inverno e Verão. Fomos até um parque no meu da cidade que tem dois lagos, espaço interessante. Mas achei que o sol estava muito forte para eles.

 

Uma outra colega que também mora deste lado da ponte, o kindergarten fica do lado de lá, tem de se atravessar o rio Yangtze, e é como se fosse noutra cidade, mas ainda assim Wuhan. Bom mas disse-me ela que a semana passada levou 8 horas a chegar a casa depois de ter saido do trabalho. E eu fiquei com uma cara de só podes tar a gozar comigo, ao que ela explicou que não estava, por causa da chuva, o trânsito no fim de semana passado parou e ela que entrou no autocarro à 1h da tarde só saiu às 9h da noite. Inacreditável. Seria se não soubesse em que cidade dos infernos vivo. Que isto nunca me aconteça a mim, senão tenho a sensação que não volto a repetir a viagem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

NO COMMENT

por mandarina, em 01.03.12

Hoje teste de nível a audição. Em 20 não respondi a uma única pergunta com 100% certeza.

Espero não ter sido a única. Todos disseram ser difícil. A ver se a vergonha é colectiva ou individual.

 

p.s.: a colega da Índia diz que sempre que a aula acaba e tira os phones sofre de dores de cabeça. Subscrevo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

(a) Ensinar português

por mandarina, em 19.12.11

E assim foi, hoje tive a minha primeira experiência como "uma espécie" de professora de português, sim que eu não fui definitivamente talhada para ensinar, pelo menos, não a minha língua materna. A experiência foi, como dizer, olha nem sei bem como defina, muito estranho. Eu ali a dizer "Olá" e "Tudo Bem?" e "Até Amanhã" e etc. Senti-me assim... pateta. Foram duas longas horas, e o tempo ainda custou a passar.

 

Ensinar português, nível básico, é como ensinar alguém a beijar, alguém que não faz a mínima ideia do que um beijo a sério e bem dado seja, mas mesmo assim uma pessoa esforça-se por ensinar mas por mais que se esforce pior é o resultado, porque sai um beijo desajeitado, e por mais que se tente acertar o compasso falha sempre alguma coisa como quando as peças do puzzle estão trocadas e tu não dás conta da charada. Ensinar português é frustrante, é como assistires, impotente, alguém a assassinar a língua que tu achas mais perfeita, mais linda e melódica. Na boca do rapazinho, esforçado bem sei, saíam os sons todos distorcidos e eu ficava a pensar para mim própria, bem que prefiro ver/ouvir assassinarem a língua dos outros, é bem menos penoso.

 

O português dele é mais básico que o meu chinês e, tendo em conta que, já teve aulas intensivas de espanhol pensei que o nível dele fosse um pouco melhor, mas nem por isso. Bom. É do inicio é do inicio. As coisas para serem bem feitas devem começar bem de raiz, mas eu juro que, e tenho pena de o dizer, mas a verdade é que não tenho formação para ensinar português àquele rapazito, nem do nível mais básico. A sério, é tudo tão simples, e irritante para quem está a ensinar, do género ele não consegue pronunciar os "r" em "caro" nem os "nh", "lh", "l", etc. E eu sinto-me impotente porque não sei como ensinar a não ser repitar mil vezes e obrigá-lo a repetir, mas repete mal, infinitamente mal. E como dar a volta? juro que não sei. A verdade é que não me preparei para esta aula, do género só soube de manhã que ia dar aula das 3h às 5h e concordei, por não me parecer nada de mais ensinar português, na verdade é mais dificil do que parece. Ai.

 

E o "L" dá-me náuseas, pois euzinha não sei pronunciar o "L" bem, nem se nota muito quando as pessoas não sabem, quando sabem é a risota total. Mas isto até poderia ter piada senão fosse eu tentar que ele dissesse "L" e ele só percebe e repete "u" :S, muito mau!!!

 

Nem sei bem o que diga, do positivo que tiro disto é que ele ajuda-me a rever todo o vocabulário chinês mais básico e obriga-me a desenrascar-me a comunicar em chinês e, pronto, com razão, goza com o meu chinês desajeitado e eu martirizo-me com ele a massacrar o meu querido e adorado português...Ai que não nasci para isto, mas lá está, como uma amiga diz, bom ou mau, tudo adiciona valor à nossa vida. E estou certa que esta experiência adicionará valor à minha, de certa forma, já encaro as professoras de português de outra maneira, pobres mártires com paciência de santa.

 

E agora vou masé pôr mãos à minha aula de Business English que nessa, meus amigos, sei que sim, eu bem que assassino o inglês mesmo como professora, mas dá-me um gozo desmedido ensinar em inglês, e uma adrenalina daquelas, que não sei até quando vai durar, mas por enquanto só posso dizer "So far, So good"

 

ps. e sim, eu exagero um bocado, mas quando ainda estou em estado de choque dá-me para exagerar os cenários, que se lhe há-de fazer?

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Favoritos