Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


incredulidade

por mandarina, em 19.03.12

Fiquei incrédula por saber que a Rihanna (para quem não sabe é uma cantora pop do panorama musical actual) colaborou recentemente com o ex-namorado Chris Brown no seu novo álbum. E o porquê disto me deixar boquiaberta, pelo simples facto de, no passado, este cavalheiro, lhe ter dado uma valente sova que quase a matava tendo ela inclusive ido parar ao hospital, e acabado por alegar que ele a tentou matar. Coisa pouca portanto. Agora vem ela explicar-se a propósito desta colaboração que alega ser só música, e ser inocente. E que é resultado da boa convivência entre eles.

Nem é a questão de perdoar ou não que está em questão, esta atitude desta rapariga desequilibrada, que é o que ela só pode ser, deita por terra o que milhares de mulheres no mundo todo anseiam. Direitos humanos, respeito e igualdade de direitos, e principalmente, não à violência doméstica, física e sexual. Esta coloboração, é um ultraje à condição feminina. E eu quero lá saber da Rihanna, há gostos para tudo, se gosta de homens violentos problema dela. Agora de uma figura pública é um exemplo triste e vergonhoso, porque enquanto milhares de mulheres lutam, diariamente, pela igualdade de direitos em pleno século XXI sujeitas e condicionadas a leis atrozes pela sociedade machista em que vivem, vem-me esta tipa renegar um dos direitos mais primários da mulher ocidental: a sua integridade física.

 

E depois há notícias como esta, de uma jovem rapariga de 16 anos violada e obrigada a casar com o seu agressor. Isto passou-se em Marrocos, mas é só um exemplo do que se pratica consensualmente nos países árabes. Perante esta ordem do Código Penal que iliba o agressor de cumprir pena se este se casar com a vítima, esta menina decidiu suicidar-se. A sua morte fez com que centenas de militantes feministas e ativistas dos direitos humanos exigissem este sábado a suspensão imediata da lei.

 

Não percebo em que mundo vivemos, as que podem e vivem dentro da zona de conforto e que legitimamente usufruem de direitos humanos primários relativos à sua condição feminina não fazem caso deles, enquanto que, do outro lado, mulheres sujeitas a leis absurdas, que defendem o agressor em vez da vítima, lutam por um direito que lhes é negado continuamente enquanto que estes criminosos continuam impunes e até protegidos pela sociedade e estas atrocidades vão custando a vida de mulheres inocentes.

 

mais sobre Amina Filali aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

Rita a 19.03.2012

Das duas uma: ou isto é inadequado e perigoso para ela (Rihanna), ou aprendeu com a experiência, amadureceu e agora sente-se preparada e consegue separar as coisas.

Em relação à outra notícia, só digo que temos sorte por ter nascido onde nascemos, apesar de tudo...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Favoritos