Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Uma semana e pêras

por mandarina, em 12.02.12

É assim com este título que descrevo a minha semaninha de férias passada a milhas deste sitio hostil que dá por nome China. Mas não falemos de coisas tristes agora porque quero antes falar do que vi, do que experenciei, e das sensações de extrema felicidade que senti ao ver que o mundo é uma grande caixinha de surpresas e que eu pude começar a experimentar uma Ásia muito diferente desta em que vivo. Uma Ásia onde vive gente civilizada, gente simples, gente de todas os credos e culturas, das mil e uma feições, de todas as cores e feitios numa mistura de falares alucinante. Nunca vi nada igual e contrariamente ao que se possa imaginar esta riqueza de diversidade cultural cria o ambiente ideal de coexistências felizes e tolerantes. Não sei se é consequência do excelente clima, nunca abaixo dos 20ºC, mas a verdade é que nunca vi gente tão simpática como em Singapura e Malásia. Gente humilde mas com um sorriso quase sempre estampado na cara e uma amabilidade que só visto.

 

Que Ásia de contrastes, que grande disparidade e que grande pena por agora saber que vivo só num dos sitios mais ridiculamente vergonhosos pela falta de educação das pessoas, pela sujidade que é a China, e pela incapacidade deles em entender que no mundo não existem só chineses, daí as caras de parvos sempre que passamos nas barbas deles.

 

Singapura é uma cidade limpa, mais limpa que Hong Kong, tudo nos eixos, uma grande variedade de raças, uma grande variedade de culturas, mas toda a gente se entende porque toda a gente fala o abençoado inglês. É uma cidade pequenina, mas cheia de graciosidade, muito bem organizada, vibrante, muito cara também, mas ainda assim um pouco mais barato que Hong Kong. É uma cidade futurista, com uma arquitectura única, e que faz as delícias dos olhos forasteiros. Deu vontade, não na carteira, de ficar mais tempo, ir a todos os museus, palminhar cada centímetro da ilha e de me esteirar no maravilhoso jardim botânico que é gigante mas super acolhedor e que convida a largas horas de preguiça e de lazer.

 

Kuala Lumpur, capital da Malásia, é uma cidade dos mil contrastes, não sei como descrever, há algum caos que na verdade talvez só seja sentido aos primeiros olhares, porque na verdade a cidade, parte central, é super acolhedora e desfrutável. Uma grande mescla de gentes um pouco de todos os cantos do mundo. Muitos asiáticos, indianos mas também muitos ocidentais. É uma cidade senão tão ordeira e limpa como Singapura mais vibrante e mais colorida. Dá vontade de explorar, explorar sem parar porque cada parte da cidade tem um recanto especial e uma magia muito particular. Dá vontade de ficar e deixar-se ir no ritmo da cidade, parar e viver ali entre toda aquela mistura de línguas, de rostos amistosos, e de arquicteturas vibrantes e que desafiam a lei da gravidade. As torres gémeas de Kuala Lumpur são, sem dúvida, o exemplo mais espectacular de arquictetura que eu alguma vez tive o prazer de contemplar. Inacreditável.

 

Kuala Lumpur para trás, Cameron Highlands com as suas colinas verdejantes e plantações de morangos e, colinas e vales com plantações de chá a perder de vista. Lugar de pôr de sóis único, de uma luminosidade inebriante e uma aragem inspiradora. Cheirava a pureza e a natureza quase intocável. Pelo caminho, estradas serpenteadas colina acima, e florestas de palmeiras sem fim à vista. A natureza no seu esplendor. Aqui visitámos uma rainforest, fábrica de chá, plantações de chá, e claro bebemos o dito cujo, e eu só posso dizer que antes disto não fazia a minima ideia da beleza que encerram estas plantações nem o sabor único destas folhas verdejantes processadas. Nunca antes tinha visto um país tão verde como a Malásia.

 

A 2 dias do final da viagem tempo para uma última paragem, depois de 2 autocarros e um ferri ancorámos na ilha de Pulau Pangkor que é, senão um sitio à primeira vista muito mediano é, para quem ansiava por uns belos mergulhos, uma vez que passei a semana toda a suar com a humidade e calor a rondar os 35ºC, o melhor dos destinos. Bikini e vontade de mergulhar e de me refrescar a falar mais alto, e só consegui sair da água quando o frio me obrigou e os dedos enrugados falaram mais alto.

Ilha amorosa e quase unicamente nossa, longe de paradisiaca, e longe de populada de milhões de turistas a empaturrar as praias. Locais extremamente simpáticos e de uma boa disposição contaminante. Houve tempo para tudo, até para ir a pé, atravessando a baía quando as águas recuaram, à ilha em frente. Céu quase sempre azul ou com algumas nuvens branquinhas e com o ar mais saudável do mundo, brisa ligeira, areias branquinhas e melhor de tudo, água quentinha. Muita vitamina D e muita felicidade para um final de férias mais saboroso de todos.

 

 

 
 
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Mafalda a 12.02.2012 às 15:41

Sigo alguns blogs de pessoas que vivem foram dos seus países de origem. Graças a isso acabei de descobrir este! Hei-de passar por aqui mais vezes :)

Engraçado, recebi um postal da Malásia. Era de uma mesquita, mas a arquitectura peculiar da mesma, desafiando a ideia geral de Mesquita, fascinou-me.

Lembro-me que no meu curso falávamos do contraste Asiático. Eu sempre achei e disse e é bom confirmar: A Ásia não é só gente de olhos esticados que come arroz. Há muito mais! (Confesso que tenho uma tendência preferencial no que toca ao Sudeste Asiático).

Hei-de ir à Malásia e a Singapura assim que me for possível. Estão no topo da "lista" :) E a todos os outros lados.
Imagem de perfil

De mandarina a 13.02.2012 às 10:00

Vá que vale bem a pena.
Obrigada pela visita Mafalda, seja bem-vinda ao "mandarina"
bj
Imagem de perfil

De Rita a 12.02.2012 às 16:22

  Continuo com vontade de ir ao Japão, ih ih, mas pela tua cara de felicidade, pelo que contaste, escreveste e mostraste (fotos), fiquei bastante curiosa em relação ao SE asiático, especialmente Singapura! :)

  Ainda bem que foste. Caso estivesses na Europa talvez não tivesses esta oportunidade por causa da distância e custo. Fizeste bem! Conheceste sítios, viste pessoas, experimentaste coisas únicas e que te farão apreciar o que a vida tem de bom! :) Ah, e, mais uma vez, gosto muito das fotografias!

  Por outro lado... Acho bem que já tenha terminado, assim estás perto de mim, ih ih...! ;)

  Nota: vá, "só" mais 5 meses neste "p*tedo" de cidade...
Imagem de perfil

De mandarina a 13.02.2012 às 10:02

eheh a Malásia vale bem uma visitinha, não devias ter tantas ideias pré-concebidas ritinha ;)
sobre wuhan ... longos  5 meses mas dps nunca mais cá ponho os pés!!!
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 12.02.2012 às 22:31


Parabéns pela riqueza de vocabulário que usou para escrever este belo post.
Dá vontade , embora sem dinheiro, de descobrir a Ásia.
Um irmão meu já andou pela Malásia e, adorou. (por pocuo tempo e em trabalho, mas gostou).
Conte-nos coisas belas. Assim esquece o lado mais negativo (o da falta de hábitos de higiena, dos Chineses).
Beijinho
Imagem de perfil

De mandarina a 13.02.2012 às 10:03

Obrigada Maria, fico contente que tenha gostado do post, queria ainda ter-me exprimido melhor, mas há sentimentos que não cabem em palavras.
Bj

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Favoritos