Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mr. Wrong

por mandarina, em 25.01.12

Na vida, primeiro é dar de caras com muitos mr.wrongs até encontrar o mr.right, 是不是? 是的!!!

 

olha musiquinha:

"Bad boys aint no good
Good boys aint no fun
Lord knows that I should
Run off with the right one"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Sonoridades inebriantes

por mandarina, em 25.01.12

Descobri nas minhas incursões certeiras pela blogosfera blogues muito bons e com eles descobri mais uma voz que me deixa arrepiada de uma maneira muito, muito boa. Este senhor Michael Kiwanuka com a sua voz quente e aconchegante canta assim esta música que podia bem ser a banda sonora da minha vida. Deixo-vos esta:

 

 

 

* porque um dia também eu me sentirei em casa novamente, por agora ando só um pouco perdida, lost again! moving on, moving on...

Estou viciada, e quero ouvir mais, que soul é comigo mesmo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Idiotice do dia #3

por mandarina, em 25.01.12

Tão vai uma pessoa às comprinhas comprar sushi para o jantar, e ao comprar uma ofereciam a segunda embalagem grátis, a qual eu recusei! Vira-se uma chinesa para mim, que também ia comprar com uma cara entre surpresa e indignada, e diz-me em chinês, compra um leva o segundo grátis. Ao que eu respondo, "eu sei". Olha que coisa, já uma pessoa não pode recusar comida que parece que fica tudo maluco. Eu percebi isso do compras um trazes outro, mas posso não querer, posso? assim como assim, da última vez que trouxe a segunda embalagem grátis, comi sushi dois dias seguidos e passei umas semanas a não poder ver sushi à frente de tão empaturrada que fiquei e muito ainda foi para o lixo. Epa eu burra não sou, mas tudo o que é demais é moléstia.

 

*pronto amanhã se calhar até me arrependo de não ter trazido, mas pelo menos não ando a comer sushi 2 dias seguidos!

 

Com isto tudo, e com a preocupação em encontrar uma máscara para o meu cabelo e não perceber patavina do que se dizia nas embalagens esqueci-me do item mais importante das minhas comprinhas: 巧克力 *chocolate! sniff... valha-me o chocolate que a bielo-russa me ofereceu tão simpaticamente...até ver não trazia veneno, ki má!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ruínas

por mandarina, em 25.01.12

É-me natural chegar ao cúmulo, eu sou de extremos, num instante passo do 8 ao 80, não de uma maneira irreflectida, antes pelo contrário, de reflectir e sentir demais é que chego ao cúmulo do extremo. Já sei como sou, sei que para mim não há meio termo, sei que a não poder ter o que quero prefiro não ter nada. E assim o é uma vez mais. Página virada, capítulo encerrado, livro arrumado na estante. E eu, por mais que ame livros que me disseram muito um dia, muito dificilmente os voltarei a ler de uma maneira ou outra, às vezes posso ter vontade de os reabrir e procurar uma frase ou uma passagem que um dia me disse muito, mas, no geral, com medo de perder tempo e de voltar a remexer em feridas passadas deixo-os no canto deles. Um dia contaram uma história, mas não farão mais parte da minha história futura.

 

Na minha vida tem sido uma constante, pessoas que me disseram muito, que me arrebataram sorrisos e alegrias muitas, que me fizeram muito bem, mas que, no final, só provocaram dor nunca mais tiveram espaço na minha vida. Não penso mudar isto, acho sempre que o que é passado deve ficar no passado, também para que não se confunda com o presente. Sempre fui de extremos, mas também para provar até ao limite que não ficou nada por dizer nem ficou subentendido em verdades meias ocultas. Comigo é a doer até que fique tudo preto no branco. Só desta forma sigo em frente, infelizmente. Gostava de ser alguém que fica de bem com as pessoas e com a vida em tudo, e somos todos amigos e ninguém liga a mágoas passadas. Eu não funciono assim, prefiro sempre quebrar, romper de vez, afastar-me para não mais voltar. Sei que, muitas vezes, perco com esta atitude, mas cada um sobrevive como pode, e eu sobrevivo assim.

 

Por isso, não gosto de ruínas, espaços que nos lembram que um dia ali houve vida, que ali pessoas foram felizes, que ali um dia houve movimento e paixão, e depois o que nos contam as ruínas, espaços vazios e abandonados ao olhar distante e vazio do visitante que passa sem sequer imaginar que momentos ali se passaram. Não podemos voltar atrás no tempo, só nos resta viver o momento presente e deixar o passado lá atrás. Ele já não volta, mas eu tenho a certeza que se voltasse nunca mais seria a mesma coisa. 

 

p.s: *

Autoria e outros dados (tags, etc)

De volta ao quartel general

por mandarina, em 25.01.12

Que é como quem diz, estou de volta a Wuhan. Cheguei ontem à noite, e estou bem contente de estar de volta ao meu espacinho, isto de viajar é muito giro, é, mas quando as coisas correm bem, e eu não vou enumerar a lista de pequenos/grandes azares desta viagem de semana e meia atribulada, disse a mim própria que caso ficasse doente voltava. Fiquei, voltei. É bom voltar ao ponto de partida para se recomeçar com o pé direito, espero, que ainda falta cumprir a parte 2 da viagem: Singapura e Malásia. Vim lavar os trapos, vim repor a mala, e mais que isso, recarregar baterias para voltar a uns dias atribulados mas desta vez mais felizes.

 

Foi, contudo, uma benção ter saído daqui por uns dias, já estava saturada de Wuhan, mas depois para quê, descobrir que afinal estou também um pouco saturada da China, upa upa... Sim, meus amigos, a China é muito muito bonito (maneira de dizer) mas cansa viver aqui, cansa pra caraças. Vou ficar velha depressa, tenho de aprender esta língua do catano e mandar-me pra bem longe daqui dentro de 2 anos senão consumo-me depressa demais. Sinto que desde que cheguei à China me transformei noutra pessoa, talvez dantes fosse e levasse uma vida demasiado relaxada mas agora vivo uma vida bem mais stressada e não sei até que ponto isso é bom.

 

A China fez-me começar a viver, em Portugal era a menininha que circulava dentro do seu pequeno círculo de amigos, que tinha vergonha de tudo, que tinha medo de se perder em Aveiro se fosse preciso, que não procurava conhecer e queria era ficar no seu cantinho. Aqui tive de abrir-me e de emancipar-me, continuo com alguma vergonha de falar especialmente mandarim, sempre tive medo de errar nisto das línguas, é perder o medo senão aos 2 anos que pretendo aqui ficar posso adicionar mais 3. Mas dizia, aqui tornei-me outra pessoa, mais destemida mais pra frentex, não é assim contorna-se, não é por ali vai-se por ali, perdi-me, volto atrás, pergunto, mas não desisto.

 

Uma coisa que a China me fez descobrir: nunca nos perdemos na realidade, ficamos só confusos mas, ao fim e ao cabo, continuamos no planeta Terra e daqui meus amigos não vamos sair até que a morte nos separe...

 

p.s não quero ninguém alarmado, tive uma pequena reacção a algo que comi no jantar de bacalhau. Isso ou o meu corpo já não reconhece comida boa e já a expele por defeito. Estou bem agora, safe and sound...

Autoria e outros dados (tags, etc)

@Shanghai

por mandarina, em 22.01.12

Pois aqui estou eu de volta a Shanghai. Segundo dia, esta mesmo muito frio e ontem ate nevou um pouco. O pessoal todo bazou para Pequim, assim como quem nao quer a coisa e tudo maluco. La estao so uns meros -15 graus negativos. Espero que nao congelem demais os miolos.

Por aqui tambem esta frio que chegue, menos 0 qualquer coisa, tem chovido e ontem caiu uma neve miudinha, neve pelo Ano Novo Chines ate que parece simpatico, pior e andar na rua com tanto frio.

 

Hoje e o segundo dia que estou em Shanghai, supostamente por esta altura estaria com a Efang de volta dos preparativos para a passagem de ano em casa dela. Parece que nao foi desta, quis a maior deslocacao sazonal de pessoas no mundo que assim nao fosse, e que em vez das 21horas de comboio de Guangzhou para Guiyang, acabasse por vir parar a Shanghai num abrir e fechar de olhos. Agora a questao e: o que fazer a seguir, fico mais tempo por Shanghai ou volto para Wuhan a espera que chegue dia 3 de Fevereiro. Em Wuhan tambem nao se faz nada. Aqui estou com o meu colega de turma brasileiro que, por sua vez, conhece um bando de portugueses. Ontem foi giro, saimos todos, e conheci mais 2 portuguesas a trabalhar em Shanghai, a mae de uma delas que esta de visita, e um outro portugues que ja aqui vive ha N. Conclusao: noite passada a falar portugues, muita boa disposicao e risota.

 

Hoje vamos jantar a casa destes 3 portugueses, e surpresa das surpresas o jantar vai ser bacalhau :) que boa surpresa. Afinal, as coisas comecam a entrar nos eixos. Tudo esta bem quando acaba bem.

 

So falta decidir se fico aqui mais uns dias ou vou ja para Wuhan fazer ??? (buzhidao)!

 

Ah Shanghai, continua a deslumbrar e a ser a cidade que mais me diz neste caos todo que e a China. Cidade perola, cidade vibrante, unica, e cosmopolita, Shanghai e simplesmente a cidade, das que conheco, mais habitavel desta China caotica. Mas Shanghai e tambem uma miragem porque nos proximos tempos a minha vida nao passa por ela com muita pena minha.

 

p.s nao quero ninguem preocupado comigo, eu estou bem, apesar de nao estar a ter a viagem mais facil de todas, estou bem, safe and sound. So don't worry!

 

N. a escrever num teclado sem acentos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mudanca de planos

por mandarina, em 20.01.12

A Rita ja vai a caminho de portugal, boa viagem!obrigada e desculpa pelo mau feitio dos ultimos dias :(

Eu estou na minha ultima noite em Guangzhou, amanha de manha la vou eu para o ultimo sitio que contava ir - Shanghai!Enfim, a vida e mesmo uma caixinha de surpresas e nem sempre das mais agradaveis。

 

Que putedo de viagem @viagem dos infernos

哎呀, 哎呀

 

CNY@Shanghai

Quem haveria de dizer hein!? oh sorte malvada

 

ps。 se eu descubro quem me rogou uma praga para esta viagem juro que lhe torco o pescocinho e bem torcidinho!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um ano depois

por mandarina, em 16.01.12

Um ano! Um ano! Já lá vai um ano, desde que cheguei à China, não a esta China, a uma China bem diferente, uma China cosmopolita, Shanghai! E que belos 6 meses que aí passei, esquecendo as coisas menos boas claro, que também as houve como é normal!

Não morro de saudades de Shanghai, isso é certo, tenho saudades dos momentos e das pessoas que faziam parte do meu dia-a-dia de então. Saudadinhas da Amélinha, da Maria e de algum outro pessoal de trabalho, tenho saudades de poder estar sempre que quisesse com a chinesa mais internacional que conheci na vida, a minha amiga Efang. Saudades da Joana e da Rita, foram embora, uma voltou por pouco tempo, a outra voltará em breve, espero que a China que encontrar a trate bem. No geral, tenho saudades do nosso grupo de Shanghai, das nossas festas, dos nossos momentos de pura estupidez, das noites passadas entre este e o outro bar, dos dias passados numa correria pelas ruas desta cidade espantosa, da descoberta de mais um spot, um novo restaurante, um novo café, um novo lugar para visitar, um parque, uma loja. Saudades das nossas jantaradas em casas uns dos outros, das festas temáticas (chapéu, traje chinês, entre outras). Saudades do vinho bom que aí se bebia, das after-parties passadas a comer McDonalds, dos nossos jantares em casa uns dos outros, das desastrosas escolhas de take-away que fazíamos, dos nossos momentos de gossip e de corte e costura. Da desarrumação das nossas vidas, dos nossos romances de fim-de-semana, das nossas bocas descaradas (mais vossas, meninas), dos filmes que fazíamos, da facilidade em conhecer pessoal novo, daqueles que nos visitaram por uns dias, umas semanas, uns tempos e logo deixavam saudades.

 

Gostei deste período, nem tudo foram rosas, também me lembro do dia em que cheguei (16 de Jan.) sozinha, perdida, muito a medo, e terrivelmente triste e desamparada, lembro-me de não ter encontrado nos outros o apoio que precisava, de ter feito e passado muito tempo no meu canto, mea culpa, confesso. Os outros estavam já ali, mas a estranheza é ignorância pura. Houve outras coisas que não gostei, mas que agora não interessam absolutamente nada.

 

Quando voltei em finais de Agosto senti que aquela cidade não mais me pertencia, ao meu universo, senti-a estranha, eu com ela e ela comigo. Chorei, chorei sem parar, por mim, porque a estranheza é ignorância pura e o medo do desconhecido voltou, uma vez mais, para se apoderar de mim. Pensava que ia sofrer por mudar de cidade, de amigos, e deixar tudo ali, pra trás e, por isso, chorava. Mais uma vez a vida surpreendeu-me pela positiva mas não vou mentir, uma tamanha tristeza apoderou-se de mim nas primeiras semanas em Wuhan. Mas acabou por evaporar-se.

 

Wuhan. Quis o destino que aqui viesse a encontrar uma pessoa, hoje uma grande amiga, pronta a receber-me de braços abertos, uma pessoa que estranhei muito ao inicio, e que até me perguntei, "como podemos dar-nos bem sendo tão diferentes uma da outra?". Primeira impressão errada, já que o tempo veio provar que, também, por causa dela me sinto aqui como em casa, ao bom gosto português! Outras pessoas conheci que adoro, gosto imenso da minha turma, acho que encaixam todos bem, e não há ninguém da turma que desgoste, em geral, gosto do grupo em si. E gosto do meu trabalho enquanto professora de inglês, tenho aprendido muito. Aqui encontrei outro ritmo, uma outra vida, que considero muito mais significante em valor da que levava em Shanghai. Shanghai foram 6 de meses de férias e entretenimento, aqui, até agora, foram 6 meses de vida a sério, trabalho e estudo. (Especial agradecimento ao governo chinês por patrocinar o meu ano de estudos).

 

E assim foi, Shanghai deixou saudades, mas não o suficiente para deixar um insuportável buraco no peito.

Wuhan até agora, a cidade vá, ainda não me conquistou de maneira alguma, mas vale pela gente simpática e grande miscelânea de nacionalidades que praqui vai.

Wuhan, mais 6 meses, eles que venham daí (agora férias) que já, quase, que me sinto pronta para eles.

 

Ao fim deste ano de vida na China haveria tanto para contar, mas tanto, que, por agora, só me apraz dizer: 谢谢中国 (obrigada China), por me teres recebido tão bem e, por teres feito deste último ano um ano de crescimento e de enriquecimento pessoal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Constatação dietética

por mandarina, em 14.01.12

Como perder 5 kls num mês? Adicione uma bela carga de trabalho,  uma porrada de exames, uma considerável dose de stress concentrado, montanhas russas sentimentais, uma gigantesca falta de apetite, alguma falta de tempo e uma pitada de noites mal dormidas.

 

Como recuperar os tais 5kls num mês? Experimentar(ei) viajar um mês, comer muitas iguarias locais, comer muito fast-food (barato e rápido), dormir em casas alheias, trânsito intestinal desregulado, caminhadas que abrem o apetite voraz. E uns cocktails depois...

 

Magia hein, é a chamada dieta iô-iô, vão para logo voltar. Falamos daqui a um mês! Snif! Eles que venham, será por uma causa nobre: a minha felicidade.

 

Ahhhhh:)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Stand-by

por mandarina, em 13.01.12
 
FUI

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Favoritos