Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Ainda sobre a poluição

por mandarina, em 12.06.12

Que aparentemente registou os níveis mais elevados alguma vez registados no mundo, e quer-me cá parecer que o epicentro desse desastre ambiental teve lugar aqui, em Wuhan, China Central.

 

Certo é que um dia todos morreremos, mais tarde ou mais cedo, agora preocupamo-nos nós com a continuidade da espécie humana? Quer-me parecer que não, senão já alguém neste mundo nojento de interesses políticos e económicos teria feito alguma coisa e posto um stop à China e a todos os países que não respeitam coisa nenhuma, nem o presente e muito menos um futuro sustentável. Não percebo como a humanidade assiste impune ao massacre do planeta.

 

A questão, que sei até bem qual é, centra-se no nosso egoísmo enquanto seres humanos que vivemos para o momento presente, que vivemos o agora e não pensamos o quanto estamos a comprometer ou mesmo a aniquilar o futuro dos nossos e até mesmo o nosso. Somos seres egoístas, passamos a vida preocupados com as nossas vidinhas, sem qualquer consciência ambiental e sempre que uma coisa grave como a que está a acontecer agora aqui com os níveis de poluição atmosférica a bater todos os recordes possíveis e imaginários, ou quer seja com um derrame de petróleo, ou até mesmo com uma contaminação irreversível dos solos devido a acidentes nucleares, pensamos sempre: "É mau, mas não aconteceu aqui, foi no outro lado do mundo, e há-de passar". Pois desenganem-se todos, é mau, aconteceu aqui, mas afecta o ecossistema a nível global e será o que provocará os cataclismos que matarão milhares, milhões, biliões de pessoas em todo o mundo no próximo Inverno com chuvas torrenciais, e no Verão com a seca extrema que um dia, que está para breve, ditará a escassez de alimentos à escala mundial.

 

Por isso, desenganem-se que por não acontecer aí, nas vossas barbas não é grave, é gravíssimo, e até pode ser que quem esteja exposto a isto num primeiro momento sofra mais rápido os efeitos destes desastres mas ao fim e ao cabo todos pagaremos a conta pela nossas atitudes negligentes para com o meio ambiente sempre que fechamos os olhos à ganância de superpotências mundiais como a China e/ou Estados Unidos da América, entre outras.

 

A verdade é que hoje já ninguém está imune aos efeitos da poluição, quer seja eu aqui a respirá-la directamente, quer seja quem esteja a milhares de kms, e ainda que o problema choque, não induz à acção que se quer rápida e urgente. O verdadeiro inimigo reside na falta de consciência e na falta de responsabilidade das pessoas e governos, e até que as consciências mudem falta quase tudo. Sinceramente temo que que esse momento chegue precisamente à beira da destruição total e irreversível do planeta e da humanidade, logo tarde demais.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

De Maria Araújo a 12.06.2012 às 18:41

Inteiramente de acordo, e fico preocupadíssima com o que se passa mundo fora.
Aqui, na minha escola passo a vida, e sei que sou chata, a protestar o gasto imenso de papel, as embalagens dos sumos, mais os pacotes, mais os plásticos, mais, mais...
Quando aconteceu Chernobyl, foi um choque.
As grandes potências só vêem o poder económico (porque não pensam que vão morrer, que poderíamos viver num planeta azul e limpo e saudável para todos? Acham que ficam imunes a estes desastres?
Estou consigo, neste problema.
Beijinho

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D



Favoritos